Close

Por que fazer psicoterapia?

2

O trabalho do psicoterapeuta é fazer uma reconstrução, em conjunto com o paciente, sobre sua história, pois ninguém sabe mais da nossa vida, das nossas experiências, de nossos sofrimentos e de nossas alegrias, do que nós mesmos. O intuito da psicoterapia é resgatar lembranças do que foi vivido, alcançando, dessa forma, diversos aspectos da vida, desde reflexões sobre a sua existência, busca de autoconhecimento, até tratamento de alguma situação difícil na qual não se tem forças para lidar sozinho. A psicoterapia vai ajudar a enxergar sua história com uma perspectiva diferente, possibilitando uma visão mais clara e nítida e, com isso, ganhando aos poucos segurança no caminhar cotidiano.

Depressão

3

A depressão é um transtorno de humor e é muito comum. Pode ter base familiar e genética, mas sofre influência de fatores familiares, ambientais e sociais. Os pacientes podem apresentar perda ou ganho de peso, dificuldade de concentração, perda do prazer em realizar suas atividades diárias, fadiga, dor de cabeça, irritabilidade, humor deprimido, sintomas cognitivos, disforia, perda de energia e de motivação, entre outros. Existem vários tipos de depressão. O tratamento envolve uso de medicamentos do grupo de antidepressivos, terapia e outros, trazendo grande alívio dos sintomas. O tipo de tratamento escolhido vai variar de acordo com o paciente, seus sintomas e o estágio de vida. (Ex: mulheres gestantes possuem um tratamento diferenciado das não gestantes).

Ansiedade

4

Os transtornos de ansiedade são doenças psiquiátricas mais comuns. Entre eles: transtorno de ansiedade social, transtorno do pânico, transtorno de ansiedade generalizada, fobias e transtorno obsessivo-compulsivo. Muitos pacientes apresentam sintomas físicos. Acredita-se que sejam consequência de vulnerabilidade genética e interação com fatores biopsicossociais(situações, estresse e trauma), produzindo sintomas clinicamente significativos. Os sintomas variam de acordo com o transtorno específico. O tratamento deve consistir na combinação de medicação, psicoterapia e orientações sobre a dieta.

Insonia, Pesadelos, Sonambulismo e Transtorno do Sono.

1

Os transtornos do sono (dissonias e parassonias) figuram entre os mais comuns da Medicina Psiquiátrica. Um sono inadequado ou não restaurador compromete a qualidade de vida das pessoas. Estes transtornos podem ser causados por condições médicas, psiquiátricas/psicológicas e/ou ambientais. O prognóstico varia de acordo com a doença base.

Esquizofrenia

2

É uma doença cerebral que afeta o modo como as pessoas pensam, sentem e percebem o mundo. Os sintomas mais comuns são alucinações, delírios, pensamentos e comportamento desorganizados, empobrecimento do discurso, perda de interesse, afeto embotado, déficits neurocognitivos. O tratamento envolve uso de medicamentos e abordagem psicossocial (com treinamento para reabilitação social e cognitiva do paciente).

Transtorno Afetivo Bipolar ou Transtorno Bipolar do Humor

3

É uma doença grave e crônica, caracterizada por períodos de depressão profunda, prolongada e grave que alterna com períodos de humor excessivamente elevado ou irritável, expansividade, grandiosidade, redução da necessidade de sono, fala excessiva e pressão por falar, pensamento acelerado, fuga de ideias, hipervigilância, excesso de busca por atividades prazerosas, com consequências muitas vezes dolorosas. O tratamento envolve regras: o paciente deve ter vida regrada, atividade regular, sono regular, uso regular das medicações, comprometimento com o tratamento e deve manter-se afastado de qualquer droga (inclusive álcool).

Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade - TDAH

4

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e frequentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade. Ele é chamado às vezes de DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção). Em inglês, também é chamado de ADD, ADHD ou de AD/HD. Ele é o transtorno mais comum em crianças e adolescentes encaminhados para serviços especializados. Ele ocorre em 3 a 5% das crianças, em várias regiões diferentes do mundo em que já foi pesquisado. Em mais da metade dos casos o transtorno acompanha o indivíduo na vida adulta, embora os sintomas de inquietude sejam mais brandos.

Transtorno Opositor Desafiador - TOD

5

Os sinais e sintomas do transtorno opositor desafiador (TOD) são comportamentos antissociais e desafiadores, sendo os mais marcantes: a rebeldia, teimosia e recusa em obedecer os adultos.

Dislexia

6

A Dislexia do desenvolvimento é considerada um transtorno específico de aprendizagem de origem neurobiológica, caracterizada por dificuldade no reconhecimento preciso e/ou fluente da palavra, na habilidade de decodificação e em soletração. Essas dificuldades normalmente resultam de um déficit no componente fonológico da linguagem e são inesperadas em relação à idade e outras habilidades cognitivas. (Definição adotada pela IDA – International Dyslexia Association, em 2002.

Transtornos de Aprendizagem

7

É um termo que se refere a um grupo heterogêneo de transtornos manifestados por dificuldades significativas na aquisição e uso da escuta, fala, leitura, escrita, raciocínio ou habilidades matemáticas. Alguns deles são: Discalculia, Disgrafia, Dislalia, Disortografia.